Especiaria: Pimenta-Malagueta

dez 11, 2013 Sem comentários by

Há alguns anos, ela era muito conhecida entre o público em geral. Tinha fama de pimenta com muita ardência, e o consumidor precisava ser muito “macho” ou um apreciador acostumado com os seus efeitos. Nome: pimenta-malagueta.

Na Escala de Scoville, elaborada em 1912, pelo farmacêutico Wilbur Scoville, que desenvolveu um método para medir o “grau de calor” das pimentas, a malagueta está avaliada com 50.000 pontos – valor intermediário da escala. Existem outras com maior grau de ardência, como a inglesa Pimenta Infinity Chilli, com avaliação na casa de 1.000.000 pontos, garantido seu lugar entre as mais pungentes do mundo.

No Brasil, atualmente a dedo-de-moça está com tudo e ganha apreciadores diariamente.

Mas a velha e boa pimenta-malagueta tem ainda muitas utilidades. Seja na área medicinal, bem como na área gastronômica. E é muito consumida em todo o país.

História.  A pimenta-malagueta foi descrita pela primeira vez pela equipe espanhola de Cristóvão Colombo em 1493. Os Portugueses introduziram o tempero na Índia e na África durante o século XVI. A pimenta-malagueta é amplamente utilizada em muitas culturas culinárias, como a mexicana (em espanhol é chamada de chili ) indiana e italiana.

No Brasil. É uma das pimentas mais conhecidas e utilizadas, cultivada principalmente na Zona da Mata Mineira e no interior de São Paulo e Rio Grande do Sul. Os diferentes tipos de pimentas do gênero capsicum têm várias formas de preparo e modos de consumo, sendo umas das hortaliças mais versáteis para a indústria de alimentos.

As pimentas, principalmente a malagueta, são estimadas por condimentar comidas e excitar o apetite. Devido à presença da capsaicina (princípio ativo da pimenta) são acres,  provocando localmente estímulo rápido e energético.

Emagrecer com pimenta é forma natural de perder peso. Para usar este condimento simples inserido numa dieta de emagrecimento basta acrescentar ao cardápio a pimenta vermelha.

Atenção: sempre que a referência for emagrecer, regime, um médico de sua confiança deve sempre ser consultado.

Estudos desenvolvidos na Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, concluiram que o consumo da pimenta-malagueta ajuda a queimar mais calorias e a reduzir o apetite.

O segredo está na capsaicina, o componente que confere o sabor picante da pimenta, que faz aumentar a temperatura do corpo durante a digestão.

Mas nem todos podem beneficiar-se disto. Os portadores de gastrite e de úlceras no estômago não devem comer a pimenta por aumentar a quantidade de ácido gástrico no estômago, podendo agravando sua doença. Sugestão: consulte sempre um médico!

O consumo de pimenta-malagueta, um hábito alimentar transmitido entre gerações muito frequente entre os entrevistados desta pesquisa (*). O maior consumo de pimenta-malagueta foi de pessoas que relatam consumi-la diariamente (65,85%),  em forma de conserva (65,85%), tempero (31,70%) e in natura (7,31%) .

Relação benefício/ saúde % de entrevistados: doença cardíaca 63,41; doença circulatória 46,34 ; prevenção de doenças 4,87 ; câncer 4,87;  emagrecimento 4,87;  reumatismo 4,87;  envelhecimento 2,43;  aneurisma 2,43;  infarto 2,43;  gripe 2,43 e  colesterol 2,43’.

(*)Dados das entrevistas obtidos do Programa de Pós Graduação em Enfermagem e Obstetrícia – FEO/UFPel , Rua XV de Novembro, 209, CEP: 96015-000. gringamanara@yahoo.com.br , Embrapa Clima Temperado (Pelotas-RS).

Pimenta-Malagueta: como planto, como armazeno e como uso

Peixe grelhado com molho de manga e pimenta-malagueta

Especiarias, Pimenta Malagueta Tags: ,
Nenhum Comentário para “Especiaria: Pimenta-Malagueta”

Deixe seu comentário